sábado, maio 16, 2009

Precisava escrever e nada me sai. Vou fazer uns quantos Enters, sem apagar as tentativas anteriores e recomeçar.

As palavras atolam-se em mim, num misto de sentires. Preciso encontrar-me. Adaptar-me a mais um novo eu. Que se forma e ainda não compreendi. Ou talvez até compreenda, mas não saiba ainda lidar com ele. Não sei de onde venho, não sei para onde vou, nem se quer sei como ir.

E entretanto sinto-me a destruir tudo à minha volta. Ou talvez seja uma destruição em mim?

Livre. Preciso de me sentir. Em todos os aspectos. Na ânsia de me (re)encontrar.

Desaparecer e não dar cavaco a ninguém.

Sinto-me, por vezes no limite, aberta até a experiências pouco saudáveis que me segreguem, mesmo que só por momentos, de tudo. Se é preocupante? Vamos ver.

A verdade é que existe dentro de nós seres, forças e fraquezas que desconhecemos, e das quais por vezes até ousamos com toda a confiança dizer “Não”. Apelar ao bom senso que ainda nos resta é talvez a melhor defesa, ou a pior… E porque não experimentar? Na condição de não fazer disso um hábito.

E quem nos garante essa resistência? Se sempre fui eu que também disse que “Não”?

2 comentários:

lost disse...

MAU!!!

queres leva um murrinho nos corninhos????

Se há coisa que não fazes é destruir seja o que for que te rodeia...

Não deixes que as coisas boas se transformem em más...

Dantins disse...

Agarra-te às forças e esquece as fraquezas.

Com determinação e espírito positivo tudo se consegue, basta acrediatres em ti e na tua força, nada mais é preciso.